11/03/2015 às 00:00:00
Municípios

Delaneide cobra conclusão da adutora do Rio São Francisco para Campo Alegre de Lourdes


O sistema integrado de abastecimento de Campo Alegre de Lourdes – que, quando concluído, prevê atender com água tratada cerca de 40 mil pessoas no norte da Bahia – foi o tema da pauta da reunião do presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Elmo Vaz com os prefeitos dos municípios beneficiados – Delaneide Dias, de Campo Alegre de Lourdes, Celso Souza, de Remanso, e João Ubiratan, de Pilão Arcado.

A reunião aconteceu na sede da Codevasf, em Brasília, onde os prefeitos foram cobrar da Companhia a completa execução da obra, conforme previsto no plano inicial – com o sistema alcançando 71 localidades dos três municípios mais a sede de Campo Alegre de Lourdes. “Todo o município, inclusive a sede, é abastecido ainda hoje com carros-pipa e cisternas. São quase trinta mil habitantes nesta situação”, afirma a prefeita Delaneide Dias.

Em Campo Alegre de Lourdes, além da sede municipal, o projeto original prevê levar água para 52 localidades; outras 18 localidades seriam atendidas em Pilão Arcado e 1 em Remanso. Para tal, o projeto contempla sete subsistemas – dois em Pilão Arcado e cinco em Campo Alegre de Lourdes –, que serão compostos por adutora, elevatória, reservatório, rede de distribuição e ramais. O sistema prevê ainda 371 km de adutoras e subadutoras e 120 km de redes de distribuição para levar água até as residências.

“Nossa expectativa é que a adutora principal do sistema de abastecimento junto com a estação de tratamento de água e as estações de bombeamento sejam concluídas até final de junho, e assim iniciar a operação para atender à sede de Campo Alegre de Lourdes”, disse na reunião o presidente da Codevasf.

Os recursos previstos para a obra, cuja execução já está em cerca de 70%, são de R$ 79,6 milhões. O projeto prevê captação de água por meio de flutuante no reservatório de Sobradinho, e também a construção de duas estações de tratamento de água. A realização de quase quatro mil novas ligações domiciliares também está prevista no contrato. A obra está preparada para ter uma vida útil de 30 anos.

O município de Campo Alegre de Lourdes está localizado numa região seca e gravemente afetada pela estiagem prolongada. De acordo com a prefeita Delaneide Borges Dias, o abastecimento de água tem sido reforçado por nada menos que 800 carros-pipa ao mês, com um custo médio mensal – assumido pelos governos municipal, estadual e federal – de R$ 800 mil para garantir água para a população.

“Essa água é um sonho de toda a população campo-alegrense. Tínhamos esperança de que um dia essa obra seria realizada para diminuir o sofrimento do povo, além de trazer economia com a despesa dos carros-pipa”, disse a prefeita de Campo Alegre de Lourdes.

Benefícios esperados

O município baiano de Campo Alegre de Lourdes está situado na divisa com o Piauí. Embora esteja dentro da área de influência do Vale do São Francisco, fica a 120 km de distância do rio. Não é cortado por nenhum curso de água permanente e localiza-se no chamado polígono da seca. Na região não há viabilidade para perfuração de poços e a única solução para abastecimento de água da população, de forma permanente, é a captação no rio São Francisco.

A expectativa da população é muito grande. “Todo mundo só comenta esse assunto, dando graças a Deus. A nossa situação é muito precária. Teve época que a gente tomava banho com um litro de água, conseguida com muito esforço. Não é fácil. Além disso, a água é de péssima qualidade. A população não vê a hora de a obra ficar pronta. Essa falta de água é o grande problema da nossa cidade”, explica Vanuza Pereira de Sousa, 40, natural de Campo Alegre de Lourdes.

“Campo Alegre é uma cidade maravilhosa para se viver, o único problema é a falta de água. Essa seca que a gente está vivendo piorou a nossa situação. Aqui é difícil até para plantar. As frutas e verduras que a gente tem aqui vêm de Juazeiro e Petrolina. Nós estamos rezando e pedindo a Deus que esse sistema seja logo inaugurado para melhorar a nossa vida, e eu tenho fé que vai inaugurar rápido”, afirma Eunice Rodrigues, 37 anos, que mora com o marido, dois filhos e a avó no município de Campo Alegre de Lourdes.

Além de melhorar o fornecimento de água na região, o sistema também terá um impacto social positivo devido à redução de doenças de veiculação hídrica, que culminarão com a redução de gastos públicos com saúde.

A ordem de serviço para a construção do SIAA de Campo Alegre de Lourdes foi assinada em outubro do ano passado pelo presidente da Codevasf, Elmo Vaz, na presença do governador do estado, Jaques Wagner. A elaboração do projeto executivo do sistema foi uma parceria com o governo estadual, por meio da Companhia de Engenharia Rural da Bahia (CERB).
Fonte: Codevasf/Lucas Nunes
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Comente usando o Facebook
 
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

FACEBOOK

 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
© Copyright 2012 - 2017. Todos os direitos reservados.
  topo